quinta-feira, 27 de novembro de 2008

O Terceiro Gigante no Centro de Berlim

Berlim

Na segunda, após os trâmites burocráticos que o primeiro dia exigiam, tirei a tarde para dar uma primeira conhecida no centro histórico de Berlim. Meu intento foi frustado, porque há alguém aqui que não colabora: o Sol, este corno. Por esta época ele só vem dar as caras por volta das 08:00, sobe meio metro no céu para dar um tchauzinho e dizer "Fica com frio, seu babaca!" e então às 16:30 se encontra afundado na terra. Menos de nove horas diárias de sol, ou melhor, de luz, pois a maior parte do tempo o céu está nublado.

Como sou um cara muito inventivo ontem tirei para fazer um programa altamente alternativo, que certamente nenhum dos turistas que vem a Berlim jamais pensou em fazer: o Portão de Brandemburgo!
Como a maior parte desse centro fica na porção que pretencia a Berlim Oriental, não era de admirar que, cedo ou tarde, se trombe com os três gigantes do socialismo científico. Podem constatar na foto abaixo.



Aqui, embora haja algo claramente algo que nego chame de Ostalgie, mistureba de Nostalgie ("nostalgia") com Ost ("leste"), o fato é que toda caboclada oriental esculacha o período comunista. (A propósito da foto, reparem que há pichações no chão.)


A despeito de as câmeras hoje em dia fazerem tudo para que o pobre do usuário tire uma boa foto, menos ainda escolhendo o que fotografar, o fato é que tirei fotos péssimas. Abaixo apenas uma galeria das mais aurstíusticas!



Não se trata dum quadro de 2001; é apenas uma das placas de concreto que forma o memorial aos judeus mortos na 2ª Guerra Mundial. Mó coisa de morde e assopra, do tipo, matamos todos nossos judeus, resolvemos nosso problema e agora fazemos mea-culpa, mas...





E naturalmente a foto mais bonita de todas, com cara rosa de gente saudável e tudo (prova de que não passo fome ainda -- salve Alá pela imigração em massa de turcos!).


6 comentários:

Ivan disse...

Álvaro, tenha modos! Que poses são essas?! Parece que tá aderindo à linha dura...
No mais, como não se emocionar com as desventuras de um desgarrado latino-americano em terras inóspitas?
Particularmente sensibilizado pela sua manifestação política ao trazer consigo mais um emigrante ilegal,
Ivan.

Liv disse...

fotos como o Alvaro. Oh!

Wesley disse...

Me pergunto porque Marx está sentado, ao contrário de Engels. O que primeiro me veio a mente foi que Marx, pidão como era, deve ter jogado um papo de que tava muito cansado, ao que Engels atendeu prontamente cedendo o lugar. Afinal, não é difícil vir generosidade de um afortunado sensibilizado com os mais pobres para com um ferradão (mais que você, Álvaro?) como o barbudão-mor.

Mas certamente esse não foi o caso, já que também há lugar para o Engels, de forma que a única explicação que me resta é a de que, como veio do Marx a maior parte das obras, ele tinha mais é que aparecer em uma posição superior mesmo, e de quebra descansando, enquanto o "abeiro intelectual" do Engels, e eu não sei o quão injusto é dizer isso, fica lá empézão.

MAs o que há de mais sensacional nessa foto é você, Álvaro, alisando a mão do Marx. Tipo: "vovô"

Abraços

Figueiró disse...

Eu ainda voltarei ao monumento para tirar uma foto sentado no colo do "bom velhinho".

Flávia disse...

álvaro, tuas poses não enganam. e tu ainda me mete essa, cara? de que vai sentar no colo do marx? fudeu...

lv_infor2008 disse...

Meu primo que historia é essa de sentar no colo do velinho?rsrsrsrsrrs